Nossa História

No início, a base para o movimento missionário dentro das igrejas Evangélicas Livres no Brasil foi a Missio Dei e uma forte influência de David Bosch através de seus escritos como “Transforming Mission”. Movidos pelos seus princípios e procurando adotar o entendimento da “Missão Integral”, o sonho da AMEL tornou-se embrionário. Inicialmente este Departamento de Missões visava a plantação de igrejas no Brasil tendo como idealizador para o início das atividades o Pr. Johannes H. Klement e um intenso desejo de fazer missões que os líderes das IEL`s da época experimentaram. Foi uma época de despertamento para missões em nosso meio e motivados por esse espirito missionário foi criada uma comissão organizadora da AMEL com a participação de Albert Rempel, Roberto Welzel, Ottmar Schrupp, Johannes Klement, Valmor Quintani e outros. Fruto deste despertamento, em 02 de junho de 2001 durante Assembleia realizada na IEL Boqueirão, sendo esta AG dirigida pelo Pr. Mario F. Junghans, com a presença de 11 Igrejas Membros fundadoras a AMEL foi constituída tendo como primeira diretoria empossada os seguinte membros: Presidente: Albert Rempel, Vice-Presidente: Waldir Fabrício dos Santos, 1º. Secretário: Ottmar Schrupp, 2º. Secretário: Valmor Quintani, 1º. Tesoureiro: José Mamede Montini, 2º. Tesoureiro: Roberto Wilfried Deitjen. Foi adotado o modelo alemão de organizar-se uma Associação Missionária independente, para que tivesse a autonomia e também o trânsito em outras denominações, sem guardar uma exclusividade com a denominação Evangélica Livre, porém sendo a sua agência missionária denominacional e não um departamento da CIELB. Segundo os Estatutos da AMEL, ela tem por objetivo prestar assessoria e suporte às Igrejas Evangélicas Livres no desenvolvimento da visão e práticas missionárias, bem como na identificação, treinamento e envio de missionários, visando promover a pregação e o ensino do Evangelho de Jesus Cristo, bem como o exercício da assistência social, de acordo com a Bíblia.

Como é a organização estrutural da AMEL

A AMEL é governada por uma diretoria composta por cristãos, pastores e missionários das IEL`s com experiência necessária para contribuir com o bom andamento da associação. Todos os representantes são eleitos em AGO. A diretoria é responsável por promover a AMEL e todas as tarefas relacionadas ao recrutamento, apoio e cuidado dos missionários. Para isso, a diretoria conta com o apoio de uma equipe de coordenadores regionais que atuam para aproximar a AMEL das igrejas locais, promovendo a interação e fortalecimento destes relacionamentos.

Membros atuais da diretoria da AMEL

Sergio Roberto de Abreu Junior

Pastor sênior na IEL-Esperança, Membro da CIELB, Teólogo e Professor.

 Frithold Kruger

Pastor na IEL – Capela do Redentor , membro do SETIEL, Teólogo e Missiologia pela OM (Operação Mobilização).

José Carlos Sgobin

Pastor na IEL – Valinhos e Teólogo.

Francielli Regina Rego

2º Secretária na IEL-Esperança, Graduada em Administração e MBA em Gestão Empresarial.

Daniel Bonilha

Membro da IEL – Capela do Redentor, membro do SETIEL e graduado em Ciências Contábeis

Ditmar Pauck

Membro da equipe pastoral na IELSP, membro do SETIEL, Mestre em Teologia, Profissional Coach, Trainer & Consultant, IntegraCCL.

Visão
Inspirar a pratica missionária transcultural nas Igrejas Evangélicas Livres do Brasil para evangelização, assistência social, treinamento de liderança e plantação de igrejas autóctones.
Missão
Assessorar as igrejas locais no desenvolvimento da visão missionária e no envio de missionários ao campo transcultural para expansão do Reino de Deus.

Declaração de Fé

I - Da Bíblia Sagrada (Bibliologia)

Cremos que as Escrituras Sagradas do Antigo e do Novo Testamento são plenamente inspiradas por Deus e infalíveis no original. Que elas foram escritas por homens inspirados pelo Espírito Santo, que usou as personalidades destes para compor e registrar a revelação única e concreta de Deus. Cremos que as Escrituras Sagradas constituem a única e suprema Regra de Fé e Prática para os cristãos. (Mt 5:17,18; 24:35; Jo 10:35; 17:17; *II Tm 3:16-27; *II Pe 1:20,21).

II - De Deus (Teologia ...)

Confessamos um só Deus, infinito, pessoal e verdadeiro, criador e Senhor de tudo o que existe, onipotente, onisciente, onipresente, imutável, santo, benigno e misericordioso. Este único Deus existe eternamente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Por isso, reconhecemos diversidade na Sua unidade e unidade na sua diversidade … três pessoas em uma essência(natureza). (Gn 1:1,2,27; Sl139; Is 9:6; *48:16; Mt 28:19; II Co 13:13; Tg 1:17).

III - De Jesus Cristo (Cristologia)

Confessamos que Jesus Cristo é eternamente o Filho unigênito de Deus, e que, sendo Deus, é da mesma essência(natureza), poder e glória do Pai. Ele foi concebido sobrenaturalmente pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria, possuindo assim duas naturezas, sendo verdadeiramente divino e humano. Como Deus-homem, ele é tanto o exemplo a ser seguido em sua humanidade, quanto o Deus a ser adorado em sua divindade. Na sua morte expiatória na cruz, sendo plenamente homem, Jesus Cristo morreu em nosso lugar, pagando o salário dos pecados de todos os que nEle crêem, e sendo Deus, sua morte tem valor infinito para os mesmos. Cremos, também na ressurreição corporal de Jesus, sendo visto por mais de quinhentas pessoas. Ele ascendeu aos céus e está à destra de Deus, agindo como nosso intercessor e advogado, sendo o único Mediador entre Deus e os homens. (Lc 1:35; *Jo 1:1-4,14,18; 10:30; 14:6; 20:28; At 2:30-33; *I Co 15:1-5; I Tm 2:5; Hb 1 e 2; I Jo 2:1).

IV - Do Espírito Santo (Pneumatologia)

Confessamos que a pessoa do Espírito Santo é da mesma essência(natureza), poder e glória do Pai e do Filho, e que, sendo Deus, executa a vontade de Deus Pai na terra. Desse modo, o Espírito é agente na criação do universo, na inspiração da Bíblia, na consciência do homem e no testemunho da verdade divina… convencendo o mundo do pecado, da justiça e do juízo. Quanto à regeneração e santificação do indivíduo, o Espírito Santo batiza todo cristão no Corpo de Cristo, passando a habitá-lo, selando, guiando e ensinando o convertido, distribuindo dons espirituais. Quanto aos dons de profecia, cura e línguas, não os negamos, mas insistimos na cautela e estrita obediência às exigências neo-testamentárias com respeito à sua prática. Toda obra do Espírito Santo exalta a pessoa de Jesus Cristo. (Jo 3:8; *14:16,17,26; *16:7-11; At 5:3,4; *I Co 12:13; Ef 1:13,14; 5:18; Tt 3:5).

V - Do Homem (Antropologia)

Cremos que o homem foi criado à imagem de Deus, isto é, de forma pessoal, finito, perfeito e imortal. Adão e Eva foram pessoas históricas, criadas sem defeito por ato miraculoso, sendo assim os pais de todos os seres humanos. Por isto, todos os homens possuem os mesmos primeiros pais, sendo ontologicamente iguais, independente de sua ascendência, nível social, cor ou nacionalidade. (*Gn 1:26-28; *2:18-24; 3:20; Dt 10:17; Lc 3:38; Tg 3:9).

VI - Do Pecado (Hamartiologia)

Cremos que, por causa da desobediência de Adão, o pecado entrou na raça humana tornando todo homem um pecador, em estado de inimizade contra Deus. Reconhecemos que o homem é incapaz de agradar a Deus ou merecer de algum modo sua salvação. Esta rebeldia fundamental entre o homem e seu Criador também se manifesta nos níveis psicosomático, familiar, sociológico e ecológico. (*Gn 3:1-7; *Rm 1:18-23; 3:23; 6:23; Ef 2:1-5; 4:17-19; Tt 3:3).

VII - Da Salvação (Soteriologia)

>>> arrependimento, justificação e santificação
Cremos que o perdão dos pecados e a reconciliação com o Criador constituem o dom gratuito de Deus, podendo ser apropriado somente através da fé em Jesus Cristo como Deus e substituto pessoal pelo castigo dos nossos pecados. Confessamos que Cristo morreu pelos pecados de todos os homens, propiciando assim a reconciliação entre Deus e os homens. Esta salvação realiza-se somente através da fé individual em Jesus Cristo, como Salvador e Senhor. A rejeição da salvação em Cristo faz com que o homem permaneça sob a ira de Deus. Sendo salvo, o ser humano é remido, justificado, reconciliado, feito filho de Deus, herdeiro da vida eterna, membro do Corpo de Cristo e santuário do Espírito Santo, devendo viver digno desta posição em santificação e submissão à vontade de Deus. (Mc 10:45; *II Co 5:17-21; Ef 1:3-14; Tt 3:4-7; Hb 9:14-10:14; I Jo 2:2; Ap 5:9).

VIII - Da Vida Cristã

Cremos que o novo nascido, através de Jesus Cristo, é equipado com todo o necessário para agradar a Deus e andar vitoriosamente sobre o pecado por meio da fé e obediência à Palavra de Deus e submissão ao Espírito Santo. Assim, a vida cristã nos convoca à um comportamento santo, tendo em vista o desenvolvimento da nossa vida devocional, do amor ao próximo, da prática de boas obras, do exercício dos dons espirituais e do bom desempenho na batalha espiritual. Reconhecemos, ao mesmo tempo, a liberdade, no Espírito, do indivíduo nas questões controvertidas da prática cristã, dentro dos limites do Novo Testamento, sabendo que Deus age com cada um de Seus filhos de uma forma especial.(*Rm 6:3-11; 14:1-13; I Co 10:23-33; Gl 2:20; 5:18-23; *I Ts 5:23; Hb 4:12).

IX - Da Igreja (Eclesiologia)

Cremos na igreja universal, iniciada em Pentecostes, sendo o Corpo, a Noiva de Jesus Cristo, constituída por todos aqueles que são regenerados pela fé no sacrifício remidor de Jesus Cristo e portanto batizados pelo Espírito Santo no Seu Corpo. Atualmente, esta igreja pode ser constatada visivelmente na forma de igrejas locais, isto é, grupos de pessoas que confessam sua fé em Jesus Cristo, que foram batizados e que se organizaram para fazer a vontade de Deus. A Igreja neo-testamentária destaca-se pela prática da adoração, aprendizagem, comunhão e evangelização (obedecendo à Grande Comissão de Jesus Cristo - Mt 28:18-20; Mc 16:15,16), sob a liderança de presbíteros qualificados. Além disso, executa as duas ordenanças bíblicas: o batismo e a ceia do Senhor.(Mt 16:18; *At 2:42-47; I Co 1:1,2; 11:23-31; *Ef 1;22,23; I Tm 3:1-12; Tt 1:5-9).

X - Dos Anjos e dos Demônios (Angeologia e Demonologia)

Cremos na realidade do mundo sobrenatural, incluindo anjos bons que ministram(servem) a Deus e aos santos. Cremos também na realidade de Satanás e seus anjos malignos, que, no exercício de seu livre arbítrio, rebelaram-se contra o Criador, e agora dominam o mundo, agindo de modo organizado contra Deus e Seus eleitos. Estes serão punidos no lago de fogo para sempre. (Is 14:12-15; *Ez 28:12-17; Jo 14:30; II Co 4:4; *Ap 12:9,10; 20:1-5).

XI - Da Evangelização

Cremos que todos aqueles que nunca aceitaram o Evangelho de Cristo estão perdidos (condenados à separação eterna de Deus), sendo que nós temos a solene missão de pregar o Evangelho de Cristo(a salvação) a toda criatura em todo lugar. Cremos que a obra da evangelização do mundo não será consumada senão através da ação missionária, implantando igrejas locais entre todas as etnias da terra.(*Mt 28:18-20; Mc 16:15; *At 1:8;13:1-4; Rm 10:13-15).

XII - Do Fim dos Tempos (Escatologia)

Cremos na volta pessoal e visível de Jesus Cristo a este mundo para arrebatar a Sua Igreja, estabelecer o Seu Reino Milenar e finalmente reinar por toda a eternidade. Cremos também, na ressurreição corporal de todos os mortos, e que após o julgamento, os salvos irão para a vida eterna com Deus e os perdidos para a eterna separação de Deus e a condenação perpétua no lago de fogo. (*Mt 25:31-46; II Co 5:10; II Ts 1:7-10; Ap 19:7-9; *20:1-15; *22:1-5 )